No consultório da dentista

Vamos aos fatos, isso ocorreu a uns meses atrás, nessa época tínhamos um grupo de WhatsApp, onde participavam umas 20 pessoas entre homens e mulheres. Além do trabalho vivíamos nos reunindo para fazermos churrasco, jogar boliche, cinema, piscina entre outras programações. Naturalmente surge um interesse homem x mulher, uma admiração carnal de desejo, culto ao corpo. Havia uma mulher de aproximadamente uns 35 anos só que parecia ter 20 anos, pensa em uma mulher bonita e malhada, cabelos loiros, cintura fina e os seios empinadinho de silicone. Vivia reclamando de seu marido onde viviam um casamento de aparência e devido a isso vivia em academia o que resultou nesse corpo maravilhoso.

Sempre tinha desejo em conseguir come-la entretanto nunca arrisquei por achar que ela era muita areia para meu humilde caminhão, mas o destino prega peças que nem acreditamos que acontecem.

Em um desses final de ano resolvemos fazer uma confraternização, um churrasco. Ao chegar, por coincidência parei meu carro atrás do dela e fui ajudá-la a com algumas sacolas, nesse meio tempo seu celular caiu e quebrou a tela (um iphone último lançamento daquele ano). Claro que ela ficou triste, nessa época era muito e caro e difícil ver uma pessoa especializada para fazer a troca a um custo baixo me prontifiquei sem maldade na segunda a procurar com ela, pois estava de férias e o seu carro iria para revisão na concessionária.

Tudo certo, segunda ela me pediu para pega-la na academia, assim eu fiz. Nossa quando ela entrou no carro com roupa de ginastica coladinha fiquei louco, mas mantive a classe. Ela agradeceu minha disponibilidade e fomos em umas 4 ou 5 assistências de celular até encontrar uma com melhor preço para fazer o serviço com isso passamos aproximadamente umas 2 horas andando conversando, falando besteira, enfim estava uma deliciosa companhia, só de olha-la já tinha garantido a minha punheta assim que chegasse em casa. Resolvemos parar para lanchar, pois estávamos fazendo hora para pegar seu carro, não sei se ficou muito perceptivo, mas não deixava de olhar suas pernas, então ela veio me solta a seguinte frase:

– Você acha que vai me comer por ter me ajudado está muito enganado.

fiquei sem ação por alguns segundos, mas dei uma resposta que lhe atiçou muito:

-Sei que é muito bonita e desejada por onde passa, seja em seu trabalho, academia, clubes, mas fiz tudo isso sem intenção o pouco que vivi nessas duas horas com você já me alimentou de muita coisa não precisa se preocupar.

Com isso voltamos a conversar outras banalidades até que voltamos ao carro (diga de passagem meu carro é todo peliculado de forma bem forte), e ela me pergunta:

– Me diz uma coisa, o que você quis dizer que já se alimentou de muitas coisas?

tentei me sair, mas fui sincero com ela disse:

– Tenho alguns fetiches e estando com voce esse tempo foi o suficiente para me deixar excitado.

Sem querer entrar em sua vida pessoal, mas ela tinha como exemplo a sua relação que atualmente era fria e de aparência com o marido. Ela fez uma cara de espantada e disse:

-Agora você vai me contar esses teus fetiches que nem o que fiz

Sem graça e sem escapatória disse que falaria, mas que com uma condição que não fosse mal compreendido que isso não afetasse nossa amizade

Ela concordou com a cabeça e disse:

– Pode ir falando…

Então expliquei:

Desde muito novo sempre gostei de erotismo e aprendi que tenho algumas coisas diferentes que me excitam, no seu caso especifico era roupa de ginastica, que era um shortinho socado, marcando a calcinha, preto até metade na coxa e um top cruzado, dando destaque para os peitos siliconados, principalmente as coxas que estava aparecendo

Então ela questionou:

– Quais outros fetiches que você tem?

quem está no fogo é para se molhar então falei:

– Amo um pezinho, cheirar, beijar, gosto também sentir o cheiro de calcinha usada…

Ela então vira pra mim e pergunta:

– Se deixar você beijar o meu pé seu pau ficaria duro?

Na mesma hora disse

– Com toda certeza!

Ela pensou por alguns segundos e disse:

– Quero ver se é verdade

Tirou o tênis que estava usando, encostou de lado no carro e levou o pé até o meu rosto

Que prontamente examinei aquele pezinho tão pequeninho com as unhas feitas, não demorou e comecei a beijar aquele pezinho todo.

E depois de uns 30 segundos já estava totalmente armado, mostrei para ela por cima do short, ela disse:

– Assim não dá para analisar…

Então direi para fora, peguei a mão dela e disse:

– Sente ele pulsar na então.

Ela simplesmente ficou me masturbando até não aguentar, virou pra mim e disse:

-Tenho que chupar esse pau, estou morrendo de tesão

E começou com o boquete, quando estava para gozar ela parou voltou a sua cadeira e disse:

– Vou te dar um presente

Com a boca toda babada tirou o shortinho junto com a calcinha, separou a calcinha e voltou a vestir o short, marcando ainda mais sua bucetinha, que tive pouco tempo para analisar, mas estava toda depiladinha.

-Toma aqui seu presente, pra voce sentir meu cheiro

Era uma calcinha de renda vermelha fio dental, maravilhosa, ao cheirar disse:

– Está maravilhosa que assim que amo.

Com isso ela voltou a me chupar eu enfiei o dedo pelo seu short por trás fiquei masturbando-a até ela gozar no short.

Assim que vi aquele mulherão tremendo nos meus dedos não resistir, segurei a cabeça dela com força e soquei meu pau todinho dentro da boca dela, depositando toda a minha porra na sua garganta que sem cerimônia engoliu tudinho.

Depois voltamos a nos recompor, ela olhou e disse:

– Me senti uma estudante, fazendo essas loucuras dentro do carro.

– Voltei a falar que essa quebra de rotina e lugares diferentes fazem com que o sexo se torne especial e perguntei:

– Quais lugares você tem desejo em transar?

Ela pensou um pouco e disse:

– Na praia, tanto na areia quanto dentro da água, queria experimentar dentro de um avião em movimento e dentro do meu consultório na cadeira de dentista.

Brinquei e disse:

– Como moramos em uma cidade que não tem praia, e no avião seria bem complicado só sobrou o seu consultório.

então ela vira pra mim e fala:

– Pois bem amanhã voce tem uma consultar marcada comigo as 19 horas, você será meu último paciente.

Nossa era tudo que queria, deixei ela na concessionária e nem me masturbei o resto do dia esperando pelo dia seguinte, pois não queria gastar minha energia.

Acordei cedo no dia seguinte, depilei toda a minha pica, na verdade mal conseguir dormir, pois iria comer uma das mulheres mais gostosa que já tinha visto e ontem mesmo tinha me pagado um boquete maravilho. As horas demoraram, até chegar às 19 horas. Cheguei em seu consultório as 18:30, fui atendido pela secretária, e para não dar bandeira passei o cartão do plano de saúde e aguardei a minha vez, assim que saiu o penúltimo cliente dela ela veio ao meu encontro deu dois beijinhos no rosto e disse para a secretaria:

-Esse aqui é um amigo de família, de muito tempo, pode ir para a faculdade, pois esse será meu último paciente.

Enquanto a secretaria se arrumava começamos realmente um tratamento, onde ela fez uma análise nos meus dentes e como não havia nada para fazer começou a aplicar flúor neles. Disse que deveria esperar 15 minutos com o produto na boca, e saiu para a sala ao lado para pegar outro produto, fiquei ali esperando, quando ela volta não acreditei no que vi, estava vestindo calcinha de renda branca toda transparente, e seu o jaleco branco, nessa hora meu pau foi nas alturas, então ela fica pra mim e fala:

– Fica quieto que hoje, sou eu que vou realizar todos os meus fetiches

Começou tirando minha camisa, amarou minhas mãos para trás na cadeira e tirou a minha calça, me deixado apenas de cueca.

E continuou o atendimento normal, lavando o flúor da minha e olhando com aquele espelhinho, so que toda vez que se debruçava em cima de mim o jaleco abria e os peitos vinha quase na direção do meu rosto, fiquei maluco com aquela tortura e amarrado não podia fazer nada, so o meu pau quase rasgando a cueca de tesão

Ela então diz:

– Tudo certo com os seus dentes, Lucas, você não pode é chupar balas nem chiclete viu?

Ela então abaixa a cadeira no mínimo, me deixando na altura de suas pernas

– Mas buceta ta liberado

Ela sobe na cadeira de jaleco mesmo, e encaixa a buceta na minha boca puxa a calcinha de ladinho, que já estava totalmente melada enquanto ela abaixa minha cueca toda e cai de boca na minha rola, mas continua esfregando a buceta. Dizendo:

-Chupa até eu gozar na sua boca, igual voce fez comigo ontem, mas você está proibido de gozar, se gozar antes de eu autorizar você irá se arrepender…

E aquela buceta estava tão gostosa de chupar, junto com boquete maravilhoso ela estava fazendo que comecei a sentir que iria gozar e ela percebeu também

– Está querendo gozar é?

-Pois vamos ver se vai gozar assim.

Foi então que ela tirou meu pau todo da boca e começou a apertar minhas bolas com a unha dizendo:

– a vontade de gozar continua?

Eu me contorcendo de dor com as mãos amarradas disse:

– NÂÂÂÂÂÂOOO, JÁ PASSOU!

– Muito bem era o que estava esperando ouvir

Com isso intensifiquei a chupada na buceta, até ela começar a dar indicio de que iria gozar com pequenos espasmos voluntario e não demorou muito ela começou

– ARHH SEU FILHO DA PUTA! CONTINUA CHUPANDO DESSE JEITINHO….

E como uma explosão ela começa a tremer, um espasmo tão forte que ela começa a morder meu pau e eu morrendo de dor sinto todo aquele orgasmo dela molhar a meu rosto e a cadeira inteira

Ela então levanta em silencio me desamarra da cadeira tira minha cueca que já estava toda molha de baba e diz

-Muito bem agora que voce me fez gozar desse jeito, quero que me coma sem camisinha até gozar, mas quero que goze na minha buceta e na minha calcinha, quero levar uma surpresinha para o meu marido.

Nisso ela fica de quatro em cima da cadeira levanta o jaleco empinando todo aquele rabão e diz:

– Vem me comer!!!

Com pau ainda dolorido da mordida, fui com tudo subi em cima da cadeira, dei uma leve lubrificada no pau e comecei a penetrar aquela bucetinha lisinha que a alguns segundos atras tinha me molhado todo.

Comecei a bombar devagar e ela vira pra trás olha nos meus olhos e fala:

– Me come igual homem, soca essa porra desse pau no fundo do meu útero

Eu assustado obedeço, começo segurando na sua cintura com estocadas fortes e ritmo acelerado, ela gemia igual uma cachorra

– Isso, me come assim seu puto, me come da forma que meu marido não me come

Eu já no meu limite, aviso que vou gozar, ela então desengata a buceta do meu pau senta de perna abertas na cadeira e fala:

– Quero que goze bem aqui, na portinha da minha buceta e o restante na calcinha.

Eu bem obediente começo a me masturbar esfregando meu pau em seu grelinho e começo a gozar:

– ARHHHH Toma porra sua safada, não era isso que queria, não era esse o seu fetiche?

Começo a gozar dentro da buceta dela, dois jatos bem lá no fundo, tiro o pau e o restante dos jatos naquela calcinha branca mais linda, sua buceta começa a cuspir minha porra e no mesmo instante ela tampa com a calcinha.

-Muito bem, meu escravo, além da calcinha toda gozada que vou levar para meu marido, quem sabe não esteja levando um filho também? E se prepare que tenho outros planos pra voce no futuro…

1-0.jpg 3-1.jpg 2-2.jpg

De sua nota nesse conto
Post criado 3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo